sábado, 17 de janeiro de 2009

Programa Municipal de Desenvolvimento Local, a Favor da Paz e Sustentabilidade.

As recentes preocupações com a ecologia mostraram-nos o quanto estamos próximo de uma liquidação do nosso planeta. O estágio que alcançou o capitalismo, reforçando o conceito de exploração literalmente de tudo, lembra-nos a lição da própria dialética: a reação à todo tipo de exploração é a nova síntese que se constrói mundialmente. Existe uma pedagogia para esta reação: a ecologia não é algo exterior nem aos indivíduos, nem às suas organizações e à sociedade.
Assim se constrói a busca de um diagnóstico para o que chamaremos de
a) Ecologia interior;
b) Ecologia social e
c) Ecologia ambiental.
O valor que permeia este diagnóstico é a compaixão e ação a solidariedade. O espaço da ação é o nosso espaço; o locus do nosso cotidiano. Onde moramos, onde aprendemos e principalmente, como ensinamos e como aprendemos. Ninguém pode se dá ao luxo do pessimismo e se ausentar desta tarefa. A pedagogia da Ecologia Interior ou Pessoal envolve desde as práticas religiosas, como exercícios de equilíbrio do tipo da yoga, restauração de práticas de revitalização da família, dos amigos e todos os laços afetivos. Na Ecologia Social o grande desafio é a construção da Economia e da Vida Solidária e todo modelo educacional voltado para este desenvolvimento e ações políticas, através de grupos de pressão, sindicatos, partidos políticos, etc. Na Ecologia Ambiental a ação pode volta-se para o estudo da biodiversidade, das tecnologias genéticas e no âmbito mais cotidiano para pressões que busquem estancar o consumo do planeta Terra. As ações de reciclagem, a pesquisa da biomassa como fonte de energia, a pressão pelo uso do transporte não predador, são apenas alguns exemplos de ações a serem desenvolvidas. Os partidos de esquerda terão que se defrontar com tais desafios e serem capazes de incorporar as novas demandas, que formulada no FMS podem sintetizar o espaço de uma nova esperança: um outro mundo é possível.

2 comentários:

Quim Drummond disse...

Valeu Fred, o esclarecimento foi ótimo. A defesa ambiental nao pode mais correr o risco do pensamento poético e distante da realidade. Mas coeso com práticas que interfiram de imediato na vida de cada cidadão.O seu blog está ótimo.Parabéns.

Quim Drummond(fotógrafo)

Frederico Drummond disse...

Olá Quim,

Obrigado pelo apoio. Assim que possível, estou organizando uma agenda, para apresentar a aplicação destes conceitos, no âmbito da administração pública em Sete Lagoas - MG.

Um abraço