sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O diálogo democrático do prefeito Kassab.

Durante quatro anos (2006 a 2010) trabalhei na rua São Bento, centro velho de São Paulo. Minha sala ficava no 13º andar e tinha vista para a Líbero Badaró e parte do Anhangabau, além naturalmente, da própria São Bento. Esta é uma região tradicional de concentrações populares e manifestações sindicais. Pelo menos dois fortes sindicatos possuem suas sedes nesta área: dos bancários e dos  professores de SP. Os dois sindicatos são muito ativos e sempre promoveram manifestações, mantendo uma boa convivência com os transeuntes. Muitas vezes os buzinaços chegavam a níveis infernais, que se misturavam às palavras de ordem dos manifestantes.  Outras vezes cruzei com os manifestantes, que além do barulho, mantinham estratégias bem humoradas para melhor se comunicar com o público local, tipicos representantes da classe média.
As imagens de ontem, da truculência policial contra manifestantes, trazem de volta as lembranças sobre o conservadorismo do prefeito Kassab.  Integrante do DEM o prefeito de São Paulo sempre mostrou dificuldade de tratar de forma democrática com as demandas populares. É verdade que fez algum esforço para melhorar esta imagem. Mas a impressão que fica é que a intolerância supera a maquiagem.
Afinal este também é o estilo Alckimin, de péssima lembrança, no trato com  com estudantes e professores manifestantes.
Quando os auto proclamados Democratas e o PSDB persistem em seu estilo truculento de tratar demandas populares é fundamental  mantermos,  sem trégua, a luta contra os autoritarismos de todos os naipes. A população dos paises do norte da África que o digam.

por Frederico Drummond

Um comentário:

Quim Drummond disse...

É Fred nesse ponto o prefeito Maroca de Sete Lagoas e que é do PSDB age bem ao contrário. As determinações expressas sao de nunca usar aparato policial nas manifestações a nao ser que seja açoes de vandalismo contra o patrimonio público.